cultos domingo e sexta
Barra, Recreio e Rio 2
Como Chegar
Assine nosso canal no Youtube
Curta nossa página no Facebook
Siga-nos no Twitter

A Verdadeira Páscoa

No Antigo Testamento a páscoa comemorava a libertação do povo de Israel da escravidão do Egito, marcada pelo livramento dos primogênitos daqueles que aspergiram sangue de um cordeiro macho, branco, sem mancha e sem defeito sobre os umbrais da porta da casa, sendo cada um deles a representação de Jesus Cristo, como está registrado em João 1.29 “Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”.

Há uma distinção grande entre a celebração da “páscoa do mundo secular” e da Páscoa Cristã.  Aquela que é celebrada pelo mundo secularizado, lembra do evento apenas uma vez no ano, num feriado prolongado; os símbolos que a representa são: ovo, chocolate e coelho.  A Páscoa Cristã não é apenas lembrada, mas celebrada todos os domingos; o símbolo maior que a representa é a Cruz.

Para muitos, este símbolo tem sido motivo de zombaria, desde a época dos apóstolos até hoje. Para estes, judeus e gregos não cristãos, a morte da cruz representa “loucura para os que se perdem” e “escândalo para os judeus, loucura para os gentios” (1 Coríntios 1.18a e 23). Nos anos 80, Raul Seixas lançou uma música que tem como título: Cowboy Fora da Lei. Em sua letra há uma sátira à vida e morte de Jesus Cristo, que diz: “… Oh, coitado, foi tão cedo, Deus me livre, eu tenho medo, morrer dependurado numa cruz. Eu não sou besta pra tirar onda de herói ...”. Em outras palavras, Jesus não passou de um coitado, que morreu cedo, e foi besta por querer bancar o herói.

Não nos abalamos com que os outros pensam a respeito da Cruz, porque sabemos que ela “para nós, que somos salvos, (é o) poder de Deus” (1 Coríntios 1.18b). A Cruz demonstra não a derrota, mas a vitória do poder de Deus em Cristo Jesus por várias razões, dentre tantas podemos elencar:

Primeira - Porque foi nela que Jesus garantiu a vitória de todos os eleitos sobre o pecado. Nossos pecados estão perdoados através do sacrifício remidor de Cristo conforme a carta do apóstolo Paulo aos Romanos 8.34 e 37, que diz: “Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu ou, antes, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós. Em todas estas coisas, porém, somos mais que vencedores, por meio daquele que nos amou”.

Segunda - Porque foi nela que o Senhor declarou a tão esperada derrota de Satanás, que foi profetizada desde Gênesis 3.15 “Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar”. Ele bradou em alta voz: “Está consumado! E, inclinando a cabeça, rendeu o espírito” (João 19.30).

Terceira - Porque ela não foi suficiente para decretar o seu fim, mas sim o começo de uma nova aliança firmada em sua ressurreição. Ela é o símbolo maior, porque através dela é que temos o relato verídico da maior de todas as vitórias, a saber, a vitória sobre a morte. “Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Coríntios 15.56 e 57).

Jesus é a nossa Páscoa! Jesus é a nossa Salvação! Por isso a celebramos sempre com amor, alegria e gratidão por tudo que o que Ele fez, está fazendo e sempre fará por todos nós. Feliz Páscoa!

Um abração do pastor,
Rev. Deivson Torres

Comentários

Como chegar

Saiba mais sobre nós
nas Redes Sociais

Igreja Presbiteriana das Américas no Youtube
Igreja Presbiteriana das Américas no Facebook
Igreja Presbiteriana das Américas no Twitter
Igreja Presbiteriana das Américas no Orkut